quarta-feira, 8 de setembro de 2010
Olá pessoal,estou muito feliz por termos conseguido nossa primeira entrevista! E em nossa estréia temos nada mais nada menos que Vanessa Santos,autora de "A Irmandade"
Se você ainda não sabe,já temos SINOPSE e 2 primeiros capítulos do livro,então já dá pra conhecer mais um pouquinho !


Bom,vamos ao que interessa!


ENTREVISTA COM VANESSA SANTOS !




1-Quando começou essa sua paixão por livros?E por escrevê-los ?
Aos 8 anos! Agora vem a parte bizarra: eu via Chiquititas e adorava a Mili...Um belo dia ela começou a escrever historinhas na novela, e eu resolvi que ia escrever também! Não é que deu certo? As historinhas foram crescendo comigo, virando livros, e eu descobri que as pessoas gostavam delas, que talvez eu tivesse mesmo “jeito pra coisa”. Eu fui me apaixonando pelos livros aos pouquinhos, sem perceber! Desde pequena eu gostava de ficar na biblioteca da minha escola, sempre levava livros para casa!

2-Todos nós temos algum tipo de influência,você teve influencia de alguém por esse amor aos livros e por escrever?
Bom, acho que já respondi essa pergunta na 1, né?

3-Como foi o processo de enviar originais para as editoras? Tentou por muito tempo?Como foi a sua reação ao ver que seu original foi escolhido?
Na verdade comigo não foi bem assim. Eu tentei ligar para algumas editoras grandes e tudo que ouvia resumia-se a “não aceitamos autores novos”, embora isso me fosse dito de várias formas. Aí um belo dia eu tinha um amigo, que tinha uma amiga, que tinha um namorado (rsrsrsrs) que havia publicado seu primeiro livro pela editora Usina de Letras. Meu amigo falou com esse rapaz sobre mim (ele é o Pedro Paulo Rosa, autor de “O Hélio”), e ele me pôs em contato com os editores de lá. O editor gostou muito da história e resolveu fazê-la. A questão é que como toda editora pequena aberta para autores novos, é você quem tem que tirar do seu bolso para conseguir a publicação, e é um investimento pesado, no começo praticamente sem lucro nenhum. Mas ao mesmo tempo é um sonho sendo realizado, você quase não acredita quando vê o livro pronto e percebe que aquilo ali foi você que escreveu, e é muito melhor quando alguém desconhecido pega seu livro, e o compra de cara, simplesmente dizendo “nossa, amei, vou levar esse!” É o melhor momento pro autor, ver alguém falar da sua história, torcer pelas personagens.

4-De onde veio a idéia de escrever um livro? E a história de “A Irmandade”?De onde surgiu?Foi baseado em algo ou alguém?
Eu já tenho vários livros escritos, e a idéia de escrevê-los sempre vem do nada na minha cabeça, geralmente no ônibus, tomando banho, ou na aula, eles vem como estalos. Quanto a “A Irmandade”, vou ser sincera que nem me lembro quando surgiu a idéia do livro. Eu sei que construo algumas personagens e suas histórias paralelas primeiro e depois as entrelaço quando surge a trama principal. Neste livro eu criei primeiro a personagem principal, o Moisés, que eu queria que cometesse um crime num momento de raiva e visse sua vida promissora ir pelo ralo ao ser preso e condenado. Eu queria que começasse assim, e logo em seguida criei o circo e as personagens dele. O resto é apenas um borrão em minha mente! (rsrs) As minhas personagens são geralmente inspiradas nos meus amigos, digo fisicamente e em alguns traços de personalidade, embora suas histórias no livro sejam bem diferentes de suas histórias na vida real. Já o estilo do livro, as pessoas tem me dito que lembram os suspenses do Dan Brown, pelo ritmo e a temática. Eu sou fã dele e de suas histórias, mas não pensei nele quando escrevi “A Irmandade”, talvez tenha sido inconsciente. Uma história interessante também é a da Tássia e o Léo, a dançarina e o mágico do circo, que eu inspirei em Otelo, do Shakespeare.
 
5-Você se identifica com algum dos personagens do livro?Se sim,porque se identifica e como poderia resumir esse personagem para nós?
Bom, depende do “identificar”. Nenhuma delas tem histórias parecidas com a minha, ou lembram a mim mesma em nenhum momento, pelo menos eu vejo assim. Mas tem aquelas personagens por quem eu tenho um carinho especial, como a Elisa, que trabalha como ladra na Irmandade. Ela tem um noivo que ama muito, o Vinícius, mas não pode contar a ele quem é de verdade e com o que trabalha, e isso destrói o relacionamento deles e parte o coração dela. A Elisa é uma personagem muito forte e com uma grande carga emocional, e eu a adoro. O próprio Vinícius também é uma personagem que gosto muito, mas ele é uma das grandes surpresas do livro, então ficarei calada quanto ao motivo de eu gostar dele.

6- Para você,qual a importância das redes sociais e blogs para com autores e suas obras?
Acho essencial. É complicado para um autor que está começando e pagou caro pelos exemplares ficar doando vários deles para os blogs literários em parcerias. Não é má vontade do autor, é que fica muito pesado para o bolso dele, só que é algo necessário, já que pra quem começa esses blogs são a melhor fonte de divulgação. O Twitter também é uma mão na roda, é incrível como tudo se espalha como uma praga por essa rede! E ainda bem!

7- Você tem um gênero de livros preferidos?Poderia citar algum de seus livros favoritos?
Eu gosto de ficção, e dentro da ficção eu sou apaixonada por suspense, aventura, literatura fantástica e drama. Alguns dos meus livros favoritos são: O Senhor dos Anéis, do J.R.R. Tolkien, O Dia do Curinga, do Jostein Gaarder, todos do Dan Brown (menos Anjos e Demônios, que detesto) e Otelo, do Shakespeare.

8-Está escrevendo algum livro ultimamente?Há projetos de novos livros?
Estou escrevendo uma história muito legal em parceria com o meu amigo Caio Gonçalves, e pretendo publicá-la assim que estiver pronta. É bem diferente de “A Irmandade”, voltada mais para o drama adolescente, sobre um garoto que larga tudo no Brasil e vai tentar realizar seu sonho de ser jogador de futebol na Europa, um livro cheio de intrigas, chantagem, jogo de interesses, drama, do jeito que eu gosto. Também pretendo escrever uma continuação para “A Irmandade”. Não pretendia, mas as pessoas que estão lendo tem me convencido de que eu preciso escrever outro volume, todos me pedem isso, então acho que terei de fazer mesmo!

9-Agora vamos fazer  1 “bate-bola”:
Comida predileta: Na verdade não tenho uma comida predileta, comida tem que ser da minha mãe, do McDonald’s ou massas em geral pra estar na minha lista de prediletas.
Música preferida:Fogo” – Capital Inicial
Livro Preferido:O Senhor dos Anéis (A Trilogia), de J.R.R. Tolkien
O que gosta de fazer em tempos livres?:ver séries. Acabei de ver Lost (assisti a série toda em 2 meses), estou revendo The O.C. (série que me marcou!) e amo House, Bones, Supernatural, Smallville e Dexter.
Alguma mania?:ficar mordendo a boca por dentro, sabe, o tempo todo.
Literatura pra você é:abrir novos horizontes.

10 – Que peninha chagamos na nossa última pergunta,mas não última entrevista!Primeiramente gostaria de agradecer a você por responder as perguntas e por ser tão simpática conosco!Por último,deixe algum recado para os leitores do blog,e fale 1 pouco sobre “A Irmandade”.
Bom, primeiro quero agradecer a você pelo carinho e o apoio nesse comecinho! Ter pessoas que acreditam em você e no seu trabalho logo no início é um presente imenso! Também quero agradecer a todos que visitam o blog e estão lendo essa entrevista. Vamos incentivar a Literatura Brasileira, gente, tem muitos autores bons por aí que só precisam de uma chance!
Sobre “A Irmandade”, eu diria que esta história é uma caixinha de surpresas. A Irmandade é uma organização secreta com ramificações pelo mundo todo, que recruta jovens para trabalharem como criminosos profissionais, assassinos, ladrões, hackers, e por aí vai. Eles observam esses jovens em colégios e identificam potenciais criminosos entre eles. A partir daí manipulam as vidas daqueles que foram escolhidos de modo a fazê-los desenvolver as características que eles precisam, até que alguém vem e oferece um emprego na organização. O Moisés, protagonista da história, é escolhido pra ser um assassino da Irmandade, e sua vida toda vai pelo ralo por causa dessa manipulação, só que quando ele é chamado para o “emprego”, sua resposta é “não!”. O problema é que a Irmandade não aceita um “não” como resposta, e não vai querer deixá-lo vivo para contar a história! Pra fugir deles, Moisés conta com a ajuda de um grupo de rebeldes, que também tem outros interesses.
Além disso, tem o núcleo do circo onde Moisés vai trabalhar no início do livro, que também tem histórias muito interessantes. Tem muita ação, suspense, romance, aventura, e um final cheio de surpresas!

Pessoal,adorei essa nossa entrevista,aliás entrevista é sempre divertida,você conhece mais o autor,e descobre alguns detalhes do livro! Muito obrigado mesmo Vanessa!Espero que vocês leitores também tenham gostado!

2 comentários:

Jackson Fernandes disse...

Adorei a entrevista!!! =D

Leia 1 Livro disse...

Que bom que gostou!Me deixa muito feliz! ;D

Nós Apoiamos

BANNER PARA PARCEIROS!

BANNER PARA PARCEIROS!
Quem quiser atualizar pode também! ;D
Tecnologia do Blogger.

Os que adoram Ler 1 Livro

FOLLOW US

Follow Leia1Livro on Twitter

Quer ler sobre...

NANOCONTOS

Populares